quarta-feira, outubro 10, 2012

Apropriação



Os nossos governantes, e não me refiro apenas aos Portugueses, têm forçado o povo a sacrifícios só necessários porque cobardemente não são capazes de tocar o essencial. A esse propósito, e como resposta à alusão por parte do chefe do governo espanhol da sensatez da " imensa maioria silenciosa de espanhóis que não se manifestaram", disse o cineasta Almodovar indignado na edição espanhola do "Huffington Post": "Senhor Rajoy, não se aproprie do meu silêncio".

Faço minhas as palavras de Almodovar.
Não se aproveitem do meu silêncio. E faço mais; aproprio-me desta obra fotográfica patente no Mosteiro de Tibães e silenciosamente junto-me a essa minoria ruidosa e corajosa que exerce o seu direito democrático de manifestação e de cidadania.

2 comentários:

Angel Corrochano disse...

Una idea muy brillante.
un abrazo

Adelino Silva disse...

Gostei "da ideia e da forma"!