segunda-feira, abril 30, 2007

quarta-feira, abril 25, 2007

25 de Abril


Hoje é um dia em que devíamos usar mais a bandeira nacional e não ficarmos sob o domínio da "ditadura dos cravos". Devíamos encarar este dia como um convite à reflexão sobre os direitos liberdades e garantias e não tanto como um olhar nostálgico de um dia que já passou. A realidade é outra, as ditaduras são outras e este dia não deve ser encarado apenas como um dia para recordar a queda da ditadura mas antes como um alento para continuarmos a aperfeiçoar a nossa democracia.

domingo, abril 22, 2007

Casa do Povo


Há dias, tive que me dirigir ao Posto médico da minha área de residência que brevemente será encerrado e substituído por um novo, também na mesma Freguesia de Vila Cova. Enquanto aguardava que fosse atendido, peguei no meu telemóvel e comecei a fotografar pormenores d'aquele espaço que durante décadas esteve ao serviço da saúde das populações vizinhas. Quantas histórias, quantas amarguras, quantas histórias de vida estas paredes não teriam para contar...
Após todos estes anos de Serviço público, aqui fica a minha modesta homenagem.

quinta-feira, abril 19, 2007

para o António Paulo



Uma boa amizade é como o vinho do porto. Com os anos vai-se refinando e apurando até chegar aquele estado de maturação que nenhuma contrariedade a poderá destruir.

A amizade que nutro pelo meu amigo António Paulo é uma dessas amizades.

Ele está em Lisboa, eu em Barcelos e por isso encontramo-nos raras vezes. Contudo a tecnologia permite que troquemos vários mails por semana e partilhemos este nosso gosto mútuo pela fotografia. O António é um excelente fotógrafo, dono de uma grande sensibilidade e uma capacidade única para ver a beleza nas coisas simples.

Porque hoje faz anos, aqui ficam os meus parabéns.


Parabéns, Paulo!

vidas


Foto: Festas das Cruzes 1993

terça-feira, abril 17, 2007

"Cais dos sonhos"

Há uma célebre frase que diz: " o criminoso volta sempre ao local do crime". Pois bem, adaptando-a à fotografia diria que o fotografo se sente sempre impelido a voltar aos locais onde conseguiu fazer boas fotos. Pelo menos comigo é assim. Adoro este local. O barquinho vermelho (se bem que o vermelho estes dias anda um pouco debutado), o verde da vegetação entremeado com o acastanhado da terra e dos degraus de madeira que nos levam a esta espécie de... cais dos sonhos.

segunda-feira, abril 16, 2007

Ritos intemporais...

E daí ?!!!

Confesso que foi com alguma expectativa que aguardei o documentário (?) que a Sic apresentou ontem sobre a descoberta do túmulo de Cristo. Mas a promessa de um documentário sério, credível e fundamentado e assente em provas científicas depressa se transformou num simples filme assente em suposições e especulações com o único interesse de ganhar dinheiro nem que para isso se tenha que abalar as convicções religiosas de alguns cristãos menos esclarecidos. A existência de um túmulo com várias ossadas com nomes absolutamente comuns naquele tempo não prova obviamente nada. Passa-se de suposição em suposição como se a anterior tivesse passado a verdade absoluta. A própria produção cinematográfica me parece muito mais preocupada com a espetacularidade das cenas do que a profundidade da matéria em questão.
Mas... independentemente de tudo isto, mesmo que me provassem por a+b que Jesus Cristo tinha sido uma fraude... continuaria a seguir os seus ensinamentos, porque ao ver o que fez São Francisco de Assis, Santo António de Lisboa, Madre Teresa de Calcutá, João Paulo II e muitos outros seus seguidores, facilmente se conclui que se todos praticássemos a sua doutrina este mundo seria um local bem melhor para se viver. A doutrina e os ensinamentos de Jesus Cristo é que são os alicerces do cristianismo e não alguns pormenores sobre a sua divindade.
A teoria não irá vingar, mas as audiências essas estão garantidas.

sexta-feira, abril 13, 2007

"Poema da minha esperança"

Que bom ter o relógio adiantado!...
A gente assim, por saber
que tem sempre tempo a mais
não se rala nem se apressa.

O meu sorriso de troça,
Amigos!,
quando vejo o meu relógio com três quartos de hora a mais!...

Tic-tac... Tic-tac...
(Lá pensa ele
que é já o fim dos meus dias.)

Tic-tac...
(como eu rio cá por dentro,
de esta coisa divertida:
ele a julgar que é já o resto
e eu a saber que tenho sempre mais
três quartos de hora de vida.)

Poema: Sebastião da Gama in "Serra-Mãe"

Hoje como há 40 anos...


Resta saber por mais quanto tempo esta tradição se manterá.

quarta-feira, abril 11, 2007

Portugal está a afundar

Temos um país com saudades do ditador (ou com falta de orgulho na democracia), temos um Primeiro Ministro que afinal não tem a rectidão que quer fazer passar...

"À mulher de César não basta sê-lo..."

terça-feira, abril 10, 2007

o homem dos sinos


Na minha terra há uma tradição que muito aprecio. Trata-se do toque dos sinos que são tocados manualmente e não por qualquer sietema mecanizado. Existem ainda pelo menos 2 "mestres" nesta arte. Um deles é o "Tio Zé" que há aproximadamente 50 anos toca os sinos da Igreja de Creixomil. Não que seja o "tocador" oficial, mas desde tenra idade que sempre que lhe pedem ou sente que pode servir a comunidade, o faz com alegria. Apenas com 3 sinos, consegue ter um "reportório" de toques que nos faz admirar a sua arte. O seu domínio da técnica é tal que parece que se funde com os sinos a pontos de estes parecerem uma extenção de si mesmo. E nem a sua deficiência (visual) o impediu de aprender e cultivar esta "arte" por quase meio século. Aprendeu num domingo de Páscoa, (porque em Creixomil é tradição os sinos serem tocados nesse dia por qualquer um que queira tentar aprender) e depois ao longo dos anos foi aperfeiçoando a sua técnica. Este ano, mais uma vez lá estava ele às 12 horas em ponto para dar o seu "repique".

Espero que o faça por muitos anos.