segunda-feira, outubro 19, 2009

Nobel do disparate

As recentes declarações de Saramago sobre a Bíblia, e sobre os católicos ultrapassam em muito o aceitável. Não se trata de ignorância. É deliberada má-fé.
Nem a idade avançada, nem tão pouco o seu Nobel, servem de desculpa para a afirmação de tamanho disparate.
Mais; alguém que tem uma opinião tão firme sobre a religião católica, devia olhar-se ao espelho e penitenciar-se pelos crimes horrendos que a sua ideologia politica foi capaz de perpetrar. Ficava-lhe bem pelo menos, estar calado.

10 comentários:

Anónimo disse...

NEM TUDO JUSTIFICA PARA AJUDAR NAS VENDAS.

ruimnm disse...

A idade não legitima tudo (ou nada).

Jorge disse...

Este nosso "nobel" tem a mania das perseguições... ou melhor, queixa-se que a igreja católica o persegue... podera, com as cacetadas que ele dá, mal estariam os católicos se não reagissem, demonstrava que era uma religião de apáticos e de desatentos.

Todas as criticas que vierem serão poucas.

Hanokh disse...

A (in)existência de um Deus sempre incomodou Saramago, o que significa que não lhe é assim tão indiferente!
Como disse um padre, cujo nome não me recorda agora, se ele [o Saramago] é um ateu convicto como diz porque é que raio fala tanto de Deus!

Adelino Silva disse...

Boas.
Subscrevo na íntegra, todos os comentários, mas o comentário da Hanokh é o que mais aprecio.
Realmente qual o motivo que leva alguém a dizer que ignora isto ou aquilo, que não existe, que é uma farsa, etc... o que leva, dizia eu, qualquer pessoa falar tanto desse tema!
Provavelmente, penso eu, não está assim tão convicto acerca daquilo que diz!
Este princípio aplica-se a Saramago, mas não só!

Abraço
Adelino Silva

joao figueiredo disse...

como é natural, estou em completo desacordo com tudo o que foi aqui escrito :)

Nuno Sousa disse...

Olá Figueiredo!

Natural? Porquê?

joao figueiredo disse...

porque não creio que o saramago esteja de má fé contra a igreja ou contra a bíblia, e afins. está sim, racionalmente, contra a utilização da ideia de um deus como meio de manipulação. a critica da leitura "à letra" tem todo o motivo de ser, não só pela história da igreja (ou das igrejas cristãs), como pelo presente. veja-se o crescente apoio que teorias criacionistas vão tendo, por exemplo.

é claro que saramago não tem que pedir desculpas por "crimes da sua ideologia política". o comunismo enquanto ideologia, defende a igualdade entre os homens, e não outra coisa. os regimes que se fundaram com base no comunismo (ou marxismo-leninismo, e/ou derivados) é que terão aí pés de barro.

e para acabar, também achas que todos os católicos devem pedir desculpas pelos crimes da igreja católica?

Nuno Sousa disse...

Figueiredo;

Digo que está de má fé, porque a afirmação de que a bíblia é um manual de maus costumes é completamente ridícula e infundada. Como tenho a certeza que Saramago não é propriamente um ignorante sobre a bíblia nem tão pouco sobre o Cristianismo, ao fazer uma afirmação tão peremptória só pode estar a fazê-la com a intenção de ofender e atacar gratuitamente.
E mais; como apelidaria ele então, um qualquer livro sobre a História do Comunismo?

Quanto a ler a Bíblia à letra, vindo de um escritor, defender que um texto não pode ser lido senão à letra, é naturalmente uma coisa que não se entende.
Relativamente ao criacionismo, se tiveres o cuidado de ler na bíblia a introdução ao livro dos génesis, irás constatar que o relato da criação do mundo não é em nada incompatível com o evolucionismo. Mas este tema, por si só, dá pano para mangas.

Como sabes, todas as experiências de concretização da teoria comunista deram para o torto. Falar do comunismo sem o ligar a esses regimes não me parece correcto. Ou então também terás de fazer a separação entre o que defende o cristianismo e algumas das práticas menos correctas da Igreja católica ao longo da história.

Para acabar, sim. Acho que sim. E isso até já foi feito pelo Papa anterior. A história da Igreja está repleta de crimes e atrocidades. Mas não é por isso que vou deixar de acreditar nos seus valores. Tal como tu não deixarás de acreditar no Comunismo.

No fundo, acho que entre o Cristianismo e o Comunismo há imensos pontos em comum. Por isso respeito o que, e os que o defendem, mas espero que os outros façam o mesmo relativamente às minhas convicções.

joao figueiredo disse...

não está nada de má fé. sobre a posição do saramago escreve o humberto eco: ”Tem-se falado muito do ateísmo militante de Saramago. Com efeito, a sua polémica não é contra Deus: uma vez admitindo que "a sua eternidade é só a de um eterno não-ser", Saramago poderia estar sossegado. A sua aversão é contra as religiões (e é por isso que o atacam de vários lados, negar Deus é concedido a todos, enquanto polemizar com as religiões põe em causa as estruturas sociais).”. sobre a história do comunismo podes consultar o programa do PCP, no capítulo referente ao sec XX, especialmente no ponto 3: ”Os acontecimentos mostraram que nesses países, apesar das grandes transformações e realizações democráticas revolucionárias de carácter económico, social e cultural, acabou por instaurar-se e instituir-se em determinadas circunstâncias históricas um "modelo" que violou características essenciais de uma sociedade socialista e se afastou, contrariou e afrontou aspectos essenciais dos ideais comunistas.”

estás a partir de um pressuposto errado. o saramago não defende que a bíblia deva ser lida senão à letra, pelo contrário, ele afirma que não se pode é deixar de também ler à letra.

quanto ao criacionismo, reparo que não sou eu que interpreto o génesis. aliás, eu sou ateu. é a história, mas essencialmente o presente das igrejas que me preocupa...

como também deves saber, todas as formas de organização da sociedade, desde o início da história do homem, basearam-se na exploração dos mais fracos pelos mais fortes. o capitalismo é apenas o capítulo presente, e nem é menos sanguinário do que os seus antecessores. basta veres o rol das intervenções militares americanas na segunda metade do sec passado. a própria “democracia” teve origem na grécia há mais de 2500 anos e ainda andamos às voltas com o conceito. A primeira vez que se rompeu com este conceito foi com o marxismo-leninismo durante a revolução russa. a rússia não era uma país particularmente democrático, e ao contrário do que pensava marx, a revolução nem sequer surgiu num país muito industrializado, mas mesmo assim foi o primeiro estado a criar um sistema de protecção social para todos os cidadão. se a europa ainda tem um “estado social” bem o pode dever à revolução russa. quero com isto dizer que, é verdade que não correu bem, mas mesmo assim já foi um avanço fantástico.

talvez não me tenha explicado bem. eu não defendi que a igreja não devesse pedir perdão pelas suas atrocidades. eu perguntei se “achas que todos os católicos devem pedir desculpas pelos crimes da igreja católica?”. é que eu faço uma separação entre os católicos, a igreja e o papa. aliás, considero que existem padres a fazerem trabalhos muito interessantes, e importantes, nas suas paróquias. vou tentar responder-te “à saramago”: respeito imenso a fé das pessoas, mas não posso respeitar a igreja católica, pela sua história e pelas minhas convicções.

quanto aos pontos de contacto entre o cristianismo e o comunismo, eu até acho que cristo foi para a cruz exactamente por ser "subversivo" :)