domingo, outubro 28, 2007

...religiões.

Há pessoas que parecem ter como missão, criticar, menosprezar, desacreditar e ridicularizar a Igreja Católica. Fazem-no quase sempre, dizem eles, com o admirável argumento de que a religião escraviza ou pelo menos limita a liberdade das pessoas. Contudo se observarmos bem facilmente chegamos à conclusão que a sua "cruzada" contra a igreja católica (quase nunca falam nas outras religiões) não é mais que uma espécie de religião à qual também eles se submetem e escravizam, fazendo com que não consigam discernir o essencial do acessório. Estão sempre prontos a apontar a árvore que cai mas são incapazes de elogiar toda uma floresta que floresce.

3 comentários:

Por agora, Hanokh... disse...

A Igreja Católica estará sempre envolta em duras e, muitas vezes, injustas críticas. É óbvio que esta Igreja, como todas as outras, tem grandes e, às vezes, incompreensíveis lacunas. Não podemos esquecer que é, acima de toda a divindade que encerra, uma organização humana. Por isso, tão cheia de defeitos. Aquilo que mais custa a quem é católico (a sério!!!!!)é, exactamente, o que o tio disse...as críticas destrutivas que raramente vêm acompanhadas de hipóteses de solução...Ou, então, quando querem à força mudar as leis e os valores, como se estes tivessem de ser alterados ao sabor dos tempos...

Por agora, Hanokh... disse...

porque os valores morais que a Igreja Católica encerra sempre foram os mesmos...a maneira como foram manipulados é que divergiu ao longo dos tempos..e, é claríssimo, que houve tempos infelizes para Igreja Católica...tempos pelos quais já se pediu perdão...Agora, sou eu que pergunto, quantas Igrejas tiveram a humildade de pedir perdão à humanidade pelos passos mal dados????

Emanuela Duarte disse...

Torna-se "engraçada" esta imagem... a mistura do religioso com o profano. Infelizmente é algo que se vê cada vez mais! se há um bom exemplo disso em Portugal esse exemplo é Fátima.
Já não há distinção entre o sagrado e o profano...

*Ezequiel 44:23 A meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o imundo e o limpo*